“Eu já tenho o diagnóstico”; Tite surpreende ao comentar situação de Pedro na Seleção e não garante atacante em duelo contra Tunísia

Tite ainda comentou as cobranças em torno do jogador rubro-negro

Pedro foi uma das novidades que Tite propôs para a Seleção Brasileira na convocação para os últimos amistosos da equipe antes da Copa do Mundo FIFA 2022 no Qatar. E vinha rasgando elogios ao atacante do Flamengo todas as vezes em que era questionado sobre a possibilidade de adicionar o nome do ofensivo a sua lista. Mas se foi uma novidade o nome de Pedro entre os convocados, surpreendente mesmo foi o técnico da Seleção não ter utilizado o atacante no jogo contra Gana e ter afirmado que não existe garantia que ele entrará em campo contra a Tunísia, nesta terça-feira (27), às 15h30, no Parque dos Príncipes.

 

Durante a coletiva nesta segunda-feira (26), Tite afirmou que Tite vai iniciar a partida entre os reservas e indicou apenas que a entrada do jogador em campo é uma possibilidade. “Ele possivelmente vai ter uma situação dentro do jogo. Possivelmente (vai usar Pedro). Não é assegurado que sim. É a ideia? É a ideia, mas independente disso eu já tenho o diagnóstico do Pedro, eu sei o que o Pedro pode dar, ele já esteve na Seleção Brasileira, ele já jogou, ele já treinou conosco, machucou e teve que voltar (para o Flamengo). Não vai ser só esse jogo que vai determinar (se ele vai para a Copa), é uma característica específica em relação a ele.”, afirmou.

 

Além disso, Tite destacou que não será um recorte de um jogo que fará o atacante ser ou não convocado e falou sobre a cobrança acerca do atleta. “ Em 10 minutos a mais ou a menos, a gente não faz conceito de um atleta em cima de um recorte mínimo. Até porque nós já jogamos com ele, nós temos esse recorte. E eu ficava falando do Pedro, porque entendia que ele era um atleta diferenciado. Nós já havíamos tido ele aqui e sabia que em algum momento ele teria chance no Flamengo. E agora aguentar cobrança para ele jogar mais tempo ou iniciar (risos)”, completou.

Sobre o duelo contra a Tunísia, Tite também comentou quais táticas e técnicas pretende utilizar. “As táticas são aqueles dois modelos usuais que nós conversamos bastante, com um segundo meio-campista mais avançado e criativo ou ter um meio-campista mais equilibrado, que joga numa fase ofensiva, mas te dá consistência defensiva, um meio-termo. Com um articulador mais agudo, como jogou o Paquetá contra o Uruguai (nas Eliminatórias) e um nove agudo que ataca o espaço. Aquelas construções que a gente tem mantido. Um lateral que é mais construtor (Danilo), do que é o Militão. Sempre aquela ideia em termos de equilíbrio tático.”, pontuou.